terça-feira, 10 de novembro de 2009

O MEU PRIMEIRO MAGUSTO

Nasci numa zona (Serra de S. Mamede-Portalegre) onde há muitas castanhas talvez por isso adoro castanhas de todas as maneiras possíveis e imaginárias.As castanhas assadas fazem parte do dia-a-dia cá de casa desde que se acende a lareira pela primeira vez até que as castanhas desaparecem do mercado.Noite que não termine com umas castanhas assadas na lareira não é noite.Até a minha cadelita adora castanhas assadas, aliás ela adora tudo o que eu como!!O engraçado é que não tenho memórias nem histórias ligadas a magustos, nunca fui a nenhum. Por essa razão este ano estou a pensar seriamente ir até Marvão onde no fim de semana de 14 e 15 de Novembro decorre mais uma Festa do Castanheiro/Feira da Castanha.Junto o útil ao agradável, revejo uma das vilas mais bonitas deste país e finalmente participo num magusto.Para quem não conhece Marvão aqui fica o desafio. Centenas de artistas de animação nas ruas; quatro magustos colocados em sítios estratégicos da vila com excelente castanha assada e vinho da região; mais de 80 postos de artesanato do mais autêntico e português, área de enchidos e queijos; Concurso de Doçaria com castanha na Casa da Cultura; área de compotas, licores, doces caseiros e a tenda dos produtores locais, são, segundo a organização, motivos mais que suficientes para que não falte a esta chamada irresistível.Encontramo-nos por lá?



Escrito por Dina, do blogue Coisas Simples...
Se gostou deste texto, vote nele de 28 a 30 de Novembro. Aproveite para comentar. Quem sabe, será seleccionado para melhor comentário!

35 comentários:

  1. Olá, Dina :)*

    Afinal de uma forma ou outra, todos acabamos por ter algo que nos liga à castanha. Os que não têm memórias do campo, certamente conviveram com os tradicionais "homens das castanhas" que encontramos em muitas esquinas das cidades.

    Gostei do texto. PARABÉNS!

    Jinhos

    ResponderEliminar
  2. Tem graça que a minha cadela é doida por castanhas também, mas se tiver um pouco podre ou com bicho já não quer, é esquisita a pobre.
    Beijinhos e boa sorte com o texto.
    Desejo uma feliz semana.

    Manuela

    ResponderEliminar
  3. Marvão foi o destino da minha primeira visita de estudo, quando era miúdo. Nunca tinha visto um castelo! Imaginem o que isso representou para mim, numa altura em que na escola se exaltavam os valores da nacionalidade num contexto de valentia, nobreza e audácia! Lembro-me de termos visto um túnel que nos foi referenciado como o sítio de entrada para um cárcere onde eram recolhidos os soldadoos capturados ao inimigo (não sei se isso corresponde à verdade histórica ou se foi mera interpretação do grupo de miúdos em que me inseria). Sei que isso me impressionou bastante. Aquela Fortaleza ficou sempre na minha memória e, ainda hoje, a considero do melhor que há no país.

    Uma vez que lá se realiza a festa do castanheiro nesta altura, há boas razões para comer castanhas numa terra com tanta história!

    ResponderEliminar
  4. Olá a todos!
    Ai Dina,se pudesse lá estava eu nesse apetitoso magusto e aproveitava para conhecer o Marvão.
    Agora ri-me porque a minha cadela também gosta de castanhas,mas é suspeita,porque ela é capaz de comer tudo o que lhe aparecer a frente.

    Jocas gordas
    Lena

    ResponderEliminar
  5. Olá Dina
    De facto no Alentejo não havia a tradição de magusto!
    Também eu nunca tinha ido a um magusto até chegar ao Oeste!
    Agora ir a Marvão é sempre bom, com castanhas ou sem elas.
    Gostei do texto.
    Um beijinho
    Alcinda

    ResponderEliminar
  6. olá Dina!
    Por cá estamos de novo apresentando como sempre as coisas boas que a nossa terra nos oferece, e quando falamos de castanhas, estamos a falar de um principal alimento para as gentes Beirâs no século passado, para além de assadas, cozidas, fritas ou piladas, ainda entravam na confecção de muitos pratos e doces. de salientar o Caludo da Beira e o pudim de castanhas ainda hoje muito popular nos dias festivos.
    Gostei muito do seu texto,elaborado com muito bom gosto. E não deixe de ir participar nesse magusto de Marvão. Isso tras-nos sempre bons momentos que normalmente deixam memórias inesqueciveis.
    Cumprimentos
    Acácio

    ResponderEliminar
  7. OLá a todos e muito obrigado pelos vosso comentários.
    Pascoalita, no meu caso é mais a mulher das castanhas, porque nunca me lembro de ser um homem a vender castanhas quando eu era miúda.
    Manuela, como eu costumo dizer da minha...é cadela mas não é parva!
    José Pinto, Marvão é uma vila linda e imagino que para uma criança seja uma visita que deixe recordações, é uma vila cheia de história e muito bem preservada. Já lá voltaste?
    Helena, do sítio onde tu estás nem é difícil chegar a Marvão...é sempre a descer!!! Ehehehehe!!
    Alcinda...graças a deus que há quem me entenda, cada vez que digo que na minha terra não era hábitual fazerem-se magustos as pessoas olham-me como se fosse extraterrestre...
    Acácio, as castanhas foram durante muitos séculos a base da alimentação no nosso país, não existia a batata e era a castanha que se utilizava, não apenas na Beira mas em todo o território. Só depois dos descobrimentos e com a introdução da batata é que perde o seu lugar...eu adoro castanhas e utilizo-as bastante, adoro colocá-las por exemplo em assados, ficam uma maravilha!
    Beijinhos a todos!!
    A Manuela desejou-me sorte com o texto e só quero dizer que o mais importante não é ganhar mas sim divulgar o que de bom temos na nossa história, pessoal e regional e isso todos nós o fazemos por isso todos somos vencedores não acham?

    ResponderEliminar
  8. Gostei do texto, que bem pode servir de base para o marketin regional das castanhas.Dispersar os magustos pelas ruas é uma óptima ideia. Li todos os comentários e observei neles um fio condutor que ia alargando novos pormenores interessantes.
    Tenho na minha frente um trabalho científico orientado e publicado,em várias línguas, pela UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto
    Douro).Dele transcrevo a receita de um Caldo de Castanha Transmontano:
    Para 5 pessoas:
    3 litros de água
    1 cebola
    1 Kg de batatas
    0,5 kg de feijão vermelho
    1 kg de castanhas descascadas
    200 gramas de presunto ou bacon cortado em pedaços pequeninos
    sal quanto baste.

    Pessoalmente, sinto o paladar de pratos de carne confeccionados com as castanhas das nossas terras frias, como foram referidos em comentários anteriores.
    Parabéns a todos os participantes.Estamos a contribuir para a actulização do mapa gastronómico português.

    ResponderEliminar
  9. Ai que o amigo Artur já me deu fome com o caldo de castanhas.Hum..com os pedacinhos de bacon ou presunto deve ficar uma delícia.Nunca experimentei,mas vou anotar e pedir a alguém que tenha mais jeito para a cozinha do que eu para confeccionar.

    Feliz Dia de São Martinho a todos!!!

    Jocas gordas
    Lena

    ResponderEliminar
  10. Artur...esse caldo deve ser uma maravilha, vou experimentar de certeza e já agora posso colocar a receita no meu blogue de receitas? Claro que com os devidos créditos.

    Helena que pena estres tãp longe...

    ResponderEliminar
  11. Há um ditado que diz: «O que há em Portugal é dos Portugueses» Acho óptimo que se elabore um trabalho com as ementas sobre os temas aqui tratados. Já antevi que será um sucesso, dada a competência manifestada pelas colegas de blogagem.
    Deixo um endereço importante sobre o estudo dos castanheiros e das castanhas:
    www.rotadacastanha.utad.pt
    Ficamos com o estudo dos Professores Doutores transmontanos, de Vila Real.
    Um abraço e ao dispor.

    ResponderEliminar
  12. Olá Dina!
    Pois é, nós, no Alto Alentejo, não temos a tradição do magusto.
    A sugestão por Marvão é muito oportuna e só tenho pena de estar na região de Lisboa nessa data. É sempre bom rever aquela encantadora vila e os arredores.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Gostei do seu texto e do sentido de oportunidade em divulgar o Magusto de Marvão.
    Agora sei porque anda sumida.
    Boa sorte.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  14. Olá, amiga Dina!

    Para a primeira vez, não há dúvida que escolheu uma festa e pêras (ou seja, castanhas)! A Festa e a terra! Oxalá tenha gostado e ficado freguesa!

    Como de costume, lá vai o meu comentário:


    A amiga Dina, conta-nos ela,
    uma coisa muito estranha,
    diz que até a sua cadela
    não perde uma boa castanha!

    Agora, seu desejo primeiro,
    ela aqui fez a confissão.
    Ir à Festa do Castanheiro
    na linda vila de Marvão!

    Sem magustos em criança,
    então, para matar o desejo,
    vai procurar lembrança
    na Sintra do Alentejo.

    Espero que tenha gostado
    dessa festa tamanha
    onde até havia bordado
    com casca de castanha!

    Diz, as castanhas adorar!
    Tenho, pois, cá na minha,
    que no aconchego do seu lar
    a castanha é a rainha!

    Por fim ainda teve arte,
    para nos abrir o apetite.
    Pois, pela minha parte,
    bem haja, pelo convite!

    Abraço,
    João Celorico

    ResponderEliminar
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  16. Querida amiga Dina,

    Não podia faltar :))
    Promete-me que se ganhares me convidas para ir contigo ao Marvão a um Magusto a sério, com tudo o que merecemos!!!
    Aqui ondo vivo, há a tradição dos magustos e comem-se as boas castanhas da região.

    Este ano fui à casa da minha irmã, mas aquilo foi um almoço de cair para o lado e depois as castanhas, eu já não tinha mais estômago. Éramos oito, dois deles holandeses (daqueles que bebem mais do que o que comem, conheces???), chovia torrencialmente, as castanhas foram assadas no forno, estavam boas, mas tenho outra imagem de um Magusto.

    Vamos a Marvão???

    Amanhã estou cá para votar em ti e não venho sozinha.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Olá Dina!
    Gostei muito de saber que tem uma cadela, que gosta das mesmas coisas que a dona. É que noto muito frequentemente, que quando amamos os nossos animais, eles tendem a ficar com os nossos gostos e temperamentos. Depois devo dizer-lhe que o Marvão é dos sítios mais lindos que visitei na minha vida! Uma Natureza pura e avassaladora, que nos faz estar "frente a frente" com a nossa própria alma... muito difícil de conseguir nos dias de hoje. Adoro castanhas, é o meu fruto favorito... não há nenhum tão bom!
    Espero que nos encontremos nesse magusto, que pelo que parece, deve ser uma coisa dos contos de fadas... :))
    Umas castanhinhas assadas e barradas com manteiga, são de chorar por mais!
    Um grande abraço de uma desconhecida que adora as coisas simples da vida e por isso adorei também, o seu texto. :)

    ResponderEliminar
  18. Dina
    Boa tarde. Aqui por Sintra está daquele frio que sem ser intenso já entra na pele. Tempo, portanto,onde umas castanhas assadas, comidas ainda quentes com um pouco de manteiga que se derrete na boca com a massa saborosa da castanha, é pitéu. Dos bons. E, sabe, Dina, o seu texto atirou-me para os tempos saudosos em que na minha casa, em Castro D'Aire, onde numa longa mesa, depois das refeições ou ao serão, nos deleitavamos com as nossas castanhas, café quentinho que nos aquecia as mãos e o estômago. Que bons eram esses tempos.

    Depois, a vida retirou muito dessa magia e, actualmente, não resisto ao fumo de um assador de castanhas, enroladas depois nas páginas das listas amarelas e como-as, uma a uma, como se desenrolasse lembranças premiadas, com tal encantamento que nem me irrito com as menos gostosas que, frequentemento, encontro

    O seu texto falou tão bem das castanhas, que deu para sentir o cheiro, o calor, e não minto se lhe confessar que senti crescer água na boca. Devo-lhe este momento saboroso da minha tarde aqui, em Sintra. Agradeço-lhe por isso e pelo seu texto que deixou trespassar como são apreciadas, desejadas e, acrescento, saudáveis: ricas em potássio, vitaminas B6 e C. Dina, se estivesse aqui juntavamos um grupo para hoje comermos castanhas coidas, com erva-doce. Que tal?

    ResponderEliminar
  19. Querida Dina,

    Então ainda nem tu votaste no teu texto? aqui votei eu e o José, se continuas com 2 votos, ainda ningué, mais votou, o que se passa???
    Amigas, toca a votar na Dina, ela está a precisar de algo que a anime.

    Depois o seu texto está muito bem... perfeito e eu quero ir com ela a Marvão!!!
    Vamos lá, votem na amiga Dina,

    Beijinhos querida.

    ResponderEliminar
  20. Dinita,

    Nem tu sabes o que gosto de castanhas, nem como tenho razão para me identificar com elas. O meu apelido de origem materna é mesmo Castanheira, portanto... quando falam de castanhas é como se falassem da minha família. E são tão boas as castanhas Transmontanas rsrsrs!

    Pois sinto pena que nunca tenhas participado de um magusto à moda da minha terra.

    O que eu me lembro de participar, bem pequenita por sinal, foi num dia frio de rachar. Reunimos todos à volta da lareira mais ampla do Tio que melhores condições tinha para o efeito, quer de espaço, quer de vinho em condições de ser bebido à data do S. Martinho, quer de castanhas de Souto próprio.
    O calor ficou óptimo no ambiente familiar, nas condições de assadura das castanhas e no conforto que o vinho foi provocando nos corpos dos adultos que assim se abstraíram do frio que se fazia sentir quando, após as celebrações, nos apressámos a regressar a vale de lençóis nas casas onde iríamos pernoitar. A minha irmã, na altura aí com uns 3 anitos, perguntava à minha Mãe quem teria andado a espalhar açúcar pelo chão. Era a ideia que dava a geada tão intensa que se espalhava precipitadamente pela aldeia. De manhã todos tínhamos que andar devagar para não dar um valente malho, tal era a altura do gelo.
    Nunca esqueci o meu primeiro Magusto Transmontano.
    Os outros nunca se lhe compararam em animação e ambiente.
    Ou será que eu cresci e perdi o encantamento?
    É o preço que temos que pagar pelo mui desejado progresso e a pressa de crescermos para sermos crescidos.
    Se fosse hoje...

    ResponderEliminar
  21. Amiga Dina,

    Já está a melhorar...parece que estava tudo a dormir.
    A Tite fez-te aí comentário... que olha que se ela tivesse concorrido com ele como texto, não sei não.
    Beijinhos a ambas da vossa amiga,

    ResponderEliminar
  22. Dina, podes não acreditar mas logo eu, uma fã incondicional de Portugal (e não digo isto porque está na moda gostar de Portugal) e tu bem sabes, não gosto de castanhas. Oh! Espanto geral, não é? Talvez por não ter nascido na terra delas e não ter me acostumado a comê-las desde pequenina, sei lá...mas gosto do seu aspecto, da sua cor, seu cheiro a assar e mais que isso do convívio da familia e dos amigos á volta de um fogareiro cheio delas. Ou à volta da mesa da cozinha, quando são assadas no forno ou cozinhadas da panela de ferro. Gosto de ver o vendedor de castanhas nas ruas de Lisboa, Coimbra ou Viseu. Ou quem sabe no Porto, ali mesmo à beirinha do Douro?
    Já tive alguns São Martinhos passados aí e as lembranças são das melhores que se podem ter, por isso o teu convite para ir a Marvão trouxe-me de volta o cheiro e a alegria que um magusto espalha no ar.
    Obrigada Dina. Quem sabe para o ano?

    Espero que ganhes o prêmio e eu voto em ti!

    beijos da amiga de sempre
    Mila

    ResponderEliminar
  23. Boa tarde D.Dina,

    O meu nome é Pedro e sou o filho da sua amiga Ná.
    Pois é, aqui estou eu para lhe dar os meus sinceros parabéns pelo seu belíssimo trabalho. Castanhas assadas com uma pitadinha de manteiga, comem-se umas atrás das outras com vinho novo ummmm! já estou a salivar!
    Por todas as razões e mais uma, ser amiga da mimha mãe que adoro, o meu voto já lá está.
    Espero mesmo que ganhe!!!

    Aceite um beijinho com carinho,
    Pedro

    ResponderEliminar
  24. Olá Dina,
    o magusto é sempre uma festa bonita. Eu não sou apreciadora de castanhas, mas aqui onde vivo há todos os anos um arraial e festeja-se o Dia de S. Martinho. O meu filhote mais novo é fã de castanhas e quando andava na primária delirava com o magusto na escola. Vinha sempre todo enfarruscado contar as brincadeiras e malandrices que faziam uns aos outros.

    Falando agora do seu texto, gostei muito e vou já daqui votar em si, em seguida passo para conhecer o seu blogue.

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  25. Olá Dina Amiga,
    Adoro castanhas de qualquer forma mas há duas maneiras que eu aprecio mais. São as assadas com um copinho de xeropiga e cosidas a acompanhar um lombinho de porco assado com doce de maçã. Só tardiamente soube do magusto em Marvão mas para o ano lá estarei! Gostei do texto e espero que tenha gostado do seu primeiro magusto! O meu este ano foi em casa e em família.
    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  26. Querida Dina,

    Estive a ver os cometários e a votação, acho que deves estar mais animada.
    Nada de foguetes antes da festa.. mas peço mais comentários e votos para a minha amiga Dina, não só pelo seu excelente texto, (não menosprezando os outro concorrentes), mas também pela expectativa aqui deixada, quase em forma de promessa.
    Vamos ao Marvão no próximo São Martinho ao Magusto com a Dina.
    Eu amo castanhas, de todas as maneiras, até cruas. Verdade!!!

    Beijos querida.

    ResponderEliminar
  27. E eu até gosto delas piladas.

    No fim de semana passado fiz um entrecosto assado no forno com batatas e castanhas que ficou de comer e chorar por mais. Até me esqueci que estava de regime.

    Beijos à Dina que escreveu o texto e à Ná que é uma amigona de se lhe tirar o chapeu.

    Beijossss acastanhados

    ResponderEliminar
  28. Amiga Dina,

    A nossa amiga mata-me a rir...ela gosta das piladas!!! Ahahahahahahahahah! Também eu!!!!!
    Só ela para me fazer rir :)))

    A verdade é que as castanhas ficam lindamente com qualquer assado de porco, até aí nós sabemos, melhor tu do que eu...
    Agora, não sabia que ela estava de regime. Tite o regime é comer de tudo mas pouco, só isso.

    Olha filha, não tires o chapéu que ainda te constipas. A Ná é e sempre será amiga incondicional das suas/seus amigos.

    Beijos mil.

    ResponderEliminar
  29. Pois eu sei, amiga que o regime é comer pouco e aí é que eu me alambazei toda.

    Ná, já reparaste que nós falamos, falamos e a constipadita da Dina nem um alô nos dá????

    Esperemos que ela não tenha piorado.

    Vou ao blog dela saber o que se passa.

    Jinhos

    ResponderEliminar
  30. Olá Dina,
    parabéns pelo excelente texto, até já sinto vontade de ir até Marvão comer umas castanhitas assadas consigo e com a Ná.

    Beijinhos,
    Ana Paula Simões Martins

    ResponderEliminar
  31. Querida amiga Ana,

    A Dina não diz nada porque não só porque "está de molho", mas também porque o Sporting empatou, a não só.
    Estou a ver se lhe levanto a moral :)))
    Mas que vamos até Marvão ao Magusto, amiga, eu estou quase certa que vamos, sim.

    Dina, tens que conhecer esta minha amiga Ana Martins e o seu espantoso Blogue Ave sem Asas.

    Beijinhos a ambas.

    ResponderEliminar
  32. Cara Dina,

    O meu voto já lá está, seu com todo o mérito!
    Sou o marido da Fernanda (Ná) e pelo que ela me diz a Dina é uma cozinheira de truz e não só.
    Pelo que eu li tem também um excelente poder de redacção.
    Muitos parabéns pelos seus dotes.
    Espero mesmo que ganhe.
    Um abraço,
    José Ferreira

    ResponderEliminar
  33. Grande festa que vocês fizeram por aqui...
    Muito obrigado a todos os que votaram no meu texto e se por acaso não conhecem Marvão aconselho uma visita. O magusto já lá vai mas Marvão tem sempre muito para vere lá do alto têm direito a uma paisagem de cortar a respiração.
    É uma das vilas mais bonitas e tradicionais do nosso país e já que estão em Marvão andem mais um pouco e vão também visitar a Sintra do Alentejo. Não sabem qual é a Sintra do Alentejo? Castelo de Vide ali bem pertinho de Marvão.
    Mais uma vez obrigado a todos e assim que tiver um tempinho...vou fazer-vos uma visita. Deve ser já depois do nascimento da minha neta mas será concerteza ainda este ano.
    Um agradecimento especial à Ná, que veio e arrastou toda a família e amigos e a Tite, minha amiga de alma tão verdinha quanto a minha. Já vos disse que vocês são um espectáculo?
    Agora deixo-vos e vou almoçar que hoje à tarde tenho uma reunião de câmara para "aturar".
    Beijinhos e abraços a todos!!

    ResponderEliminar
  34. Parabéns, Parabéns, Parabéns!

    Jokas e até... todos os dias!

    Daqui a pouco vou soltar os leões no Leoa

    ResponderEliminar